Dois videos e algumas perguntas para os que fazem o PSB 40.

Pela primeira vez, depois de tantas e tantas postagens eu venho à publico trazendo um video aonde faço perguntas à conhecida nação 40 de Barreiros, tratando de assuntos como perfis falsos nas redes sociais: agressões, palavrões e perguntando, como já fiz em outras postagens anteriores: qual a necessidade que o 40 tem de usar de agressões, palavrões e outras situações vergonhosas, não apenas nas ruas, mas principalmente nas redes sociais.

Aqui está a primeira parte deste vídeo que está mais com cara de conversa



Neste outro video abaixo, estou finalizando esta conversa de hoje, esperando, claro que algumas pessoas, corajosamente da parte do 40, e ainda lançando um desafio aos perfis Vitor Amaral, Fernando Tunni, e até mesmo ao senhor Carlinhos da Pedreira para tratar de assuntos que são do interesse deles.



Eu fiz estes videos na tarde de ontem, dia 24 de setembro. Não vi até então se a resposta ao Tiago Lopes foi feita à contento, mas seja como for, estou postando a mesma informação.

No entanto, eu lanço um desafio a partir de agora. O desafio é que os perfis mais agressivos que fazem a campanha do 40, do PSB de Carlinhos  e Léo da Pedreira venham à publico, e postem videos, simples como estes que eu fiz para responderem não apenas as minhas perguntas, mas ainda as perguntas que todos os barreirenses, certamente a partir de hoje farão.

Para finalizar esta minha postagem de hoje, segue um pequeno conto para ilustrar bem o que se passa acima, nestes videos de hoje.


"A FÉ ri das impossibilidades".
Conta-se que numa pequena cidade do interior um grupo de pessoas se divertia com o idiota da aldeia. Um pobre coitado de pouca inteligência, que vivia de pequenos biscates e esmolas. Diariamente eles chamavam o "idiota" ao bar onde se reuniam e ofereciam a ele a escolha entre duas moedas: uma grande de 400 réis e outra menor, de dois mil réis. 
Ele sempre escolhia a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos. Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e lhe perguntou se ainda não havia percebido que a moeda maior valia menos. Ele respondeu: 
- "Eu sei". - respondeu o não tão idiota assim - "ela vale cinco vezes menos, mas no dia que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e não vou mais ganhar minha moeda." 

Pode-se tirar várias conclusões dessa pequena narrativa. 

- 1ª : Quem parece idiota, nem sempre é.  
- 2ª : Quais eram os verdadeiros idiotas da história? 
- 3ª: Se você for ganancioso, acaba estragando sua fonte de renda. Mas a conclusão mais interessante é a percepção de que podemos estar bem mesmo quando os outros não têm uma boa opinião a nosso respeito. Portanto, o que importa não é o que pensam de nós, mas o que realmente somos. 

"O maior prazer de um homem inteligente é bancar o idiota diante de um idiota que banca o inteligente".