Vivendo de aparências



Cada dia mais me espanta como as pessoas são e como elas vivem suas vidas. Vidas curtas. Que passam rápido. Essa semana estava observando alguns comportamentos de mães e pais, que agem como se fossem aqueles pais de anos atrás, quando seus filhos são vistos, ou pelo menos eram naquela época, como uma boa mercadoria para consolidar reinos. Ou aqueles casos em que os coronéis encomendavam seus casamentos, em contratos fechados com os pais, e as filhas tinha que submeter-se àquele matrimônio, contra sua vontade, perdendo toda uma vida porque os pais escolheram assim.

No entanto, estamos em pleno século XXI. E os acordos que se fazem nos dias de hoje são namoros, noivados e casamentos em nome de uma aparência. Afinal, para alguns, manter as aparências é fundamental. Não existe interesse em se conhecer, internamente. Auto-descobrir-se. Desde que o dinheiro pague e se tenha condições de pagar, viva-se as aparências enquanto lhe for possível.


Tem alguns que se escondem por trás de namoros e beijos, publicamente falando, para esconderem quem são, intimamente, entre quatro paredes. E se os mesmos não são felizes, outros devem estar na mesma situação e não merecem ser felizes, igualmente.

São almas aprisionadas em seu egoísmo sem conta. São almas pequenas que ainda não aprenderam que viver é bem mais que apenas estar no mundo.

Alguns, conhecidamente bobos da côrte da hipocrisia, ainda teimam em aplaudir certos atos, acreditando que estão fazendo bem. Não sabem eles o quanto estão se afundando em suas angústias e medos, cada vez, dia a dia, mais e mais.

O tempo, no entanto, como sempre é o ótimo médico que cura as feridas necessárias, e o professor que nos ensina o melhor caminho à partir de nossos erros.

A grande questão nisso tudo, e voltando ao inicio de nosso assunto, eu fico à me perguntar: até onde você iria para manter a aparência para uma sociedade?

Você seria capaz de sacrificar sua vida, a vida de seus filhos, ou comprometer seus amigos, apenas por conta das aparências? Vale mesmo à pena?

E quanto ao sucesso? Será que vale à pena passar por cima de alguns para manter a aparência?

O que vale mais, sua vida e a liberdade de seus pensamentos, ou é melhor tolher seus pensamentos e vontades para manter para a sociedade a banca de bom, quando você sabe que não é nada daquilo que lhe querem?

Até quando você pretende ser o bobo da côrte?